CCEE facilita migração para o Mercado Livre de Energia

CCEE facilita migração para o Mercado Livre de Energia

Vai ficar mais fácil para os consumidores comprar eletricidade no Mercado Livre de Energia. A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) vai diminuir as exigências para que os consumidores passem a negociar contratos de fornecimento direto com as geradoras e comercializadoras.
Atualmente 24,6% da energia  comercializada no Brasil é negociada no Mercado Livre de Energia elétrica , e os elevados reajustes tarifários praticados pelas distribuidoras têm deixado o ambiente livre ainda mais atrativo.

Uma das principais mudanças propostas é que não seja mais necessário investir em novos equipamentos de medição de consumo  ao migrar para esse mercado. Segundo o presidente do conselho da CCEE, Rui Altieri, espera-se que ainda este ano já não seja necessária a presença de um medidor extra e que, a partir de 2016, os consumidores possam começar a atuar nesse mercado com o mesmo equipamento utilizado para faturamento pelas distribuidoras.

“Com isso, o consumidor poderá migrar imediatamente. O sistema da Eletropaulo, por exemplo, já é compatível com o nosso (para envio dos dados). Para 2016, o trabalho é tornar o sistema de todas as distribuidoras compatível”, disse Altieri.

Além disso, destacou que a criação de uma nova figura regulatória, o comercializador varejista, facilitou o desenvolvimento do mercado livre, pois os clientes desses comercializadores não precisarão se cadastrar na CCEE para operar no mercado, evitando um processo complexo e cheio de detalhes técnicos.

“Acho que não existe mais nenhuma barreira para a migração, não por preço. Com essas facilidades, de sistemática de medição, comercializador varejista, supera-se qualquer dificuldade”, disse Altieri.

Outro ponto de destaque para a medida é que a expansão do Mercado Livre de Energia torna mais atrativos os investimentos em parques eólicos, usinas de biomassa e pequenas hidrelétricas (PCHs), uma vez que as empresas com menor carga só podem acessar o ambiente livre se adquirirem energia renovável.