Crise abaixa preços no Mercado Livre de Energia

Crise abaixa preços no Mercado Livre de Energia

Em reunião entre a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), a Empresa de Pesquisas Energética (EPE) e o Operador Nacional do Sistema (ONS), foram apresentadas as novas projeções de demanda por energia elétrica para os próximos anos. Devido à menor expectativa de crescimento econômico, todas as previsões de consumo de energia foram revisadas para baixo. Esse fato alterou também os preços no Mercado Livre de Energia que, em poucas horas, sofreram quedas na casa dos 20%.

O Mercado Livre de Energia sofre oscilações, pois é muito mais sensível à Lei da oferta e à demanda do que o Mercado Cativo. A revisão das projeções de consumo apresentadas pela ONS na reunião aponta para uma queda de mais de 2.000 MW na demanda para os próximos anos, o que vai no sentido contrário do que foi projetado na última revisão.

Essa queda nos valores de energia, entretanto, pode não durar muito se o regime de chuvas vier aquém do esperado, influenciando o volume de oferta de energia hidráulica. Caso os índices dos reservatórios hidrelétricos sejam menores do que o projetado, será necessário acionar fontes mais caras de energia, como as térmicas. Dessa forma, abre-se uma janela de oportunidades para a compra de energia.

Para as empresas que se enquadram no Mercado Livre e querem rever os custos de energia elétrica na sua produção, com a compra de energia mais barata, é possível reduzir em mais de 20% os custos contra o valor pago à distribuidora no Mercado Cativo.