Mercado livre fica entre o crescimento e as dificuldades de uma nova MP

Mercado livre fica entre o crescimento e as dificuldades de uma nova MP

Graças a uma pequena retomada da indústria e à grande migração de empresas do Ambiente de Contratação Regulada (ACR) para o mercado livre em busca de menores custos de energia, a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) está otimista. O Ambiente de Comercialização Livre (ACL) está energizado e atingiu o recorde histórico na participação no Sistema Interligado Nacional com 30% do consumo do País.

Para Reginaldo Medeiros, presidente da Abraceel, isso é sinal de que o setor produtivo está procurando soluções para aumentar a competitividade.

Ele aponta também que, apesar deste cenário positivo, a Medida Provisória 579, que foi proposta pelo governo, pode travar o crescimento do mercado livre de energia no Brasil. A Consulta Pública 33/17 do Ministério de Minas e Energia preconiza a abertura do mercado, porém reduz o mercado livre no curto prazo.

A promessa é ampliar o ACL no longo prazo. A abertura total do setor está prevista para ser discutida em 2028. Dessa forma, o governo adia por mais de uma década a possibilidade de os consumidores brasileiros, em sua totalidade, acessarem o direito de escolha sobre o fornecedor de energia elétrica.