Reajustes

No dia 07/04/2014 à ANEEL informou REAJUSTES TARIFÁRIOS e possíveis REAJUSTES TARIFÁRIOS das Distribuidoras CEMIG (MG), CEMAT (MT), AMPLA (RJ), CPFL PAULISTA (SP) E ENERSUL (MS).

 

Reajuste tarifário da Cemig (MG) é aprovado pela ANEEL

A Diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou hoje (07/04), durante Reunião Pública Extraordinária, o reajuste tarifário da Cemig Distribuição S/A. As novas tarifas entrarão em vigor a partir de amanhã (08/04) para 7,7 milhões de unidades consumidoras localizadas 805 municípios de Minas Gerais.

Confira abaixo o índice que será aplicado às contas de luz dos consumidores residenciais dessa distribuidora.

Empresa

Consumidores residenciais
(Baixa tensão – B1)

Cemig

14,24%

Para o reajuste da tarifa são considerados os custos relacionados à compra de energia elétrica para atendimento do mercado da distribuidora, ao valor da transmissão dessa energia e aos encargos setoriais. O cálculo se dá de acordo com fórmula prevista no contrato de concessão. No caso da Cemig, os principais fatores que influenciaram o reajuste foram a maior participação da “energia nova” e a “energia velha” (gerada por usinas mais antigas, com parte de seus ativos já amortizados) mais cara do que previsto.

Confira abaixo as médias dos índices de baixa e alta tensão:

Empresa

Classe de Consumo – Consumidores cativos

Baixa tensão em média (abaixo de 2,3 kV)
Por ex: residências

Alta tensão em média
(de 2,3 a 230 kV)
Por ex: indústrias

Cemig

15,78%

12,41%

 

 

Cemat (MT) tem reajuste tarifário aprovado pela ANEEL

A Diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou hoje (07/04), durante Reunião Pública Extraordinária, o reajuste tarifário da distribuidora Centrais Elétricas Matogrossenses S/A (Cemat). As novas tarifas entrarão em vigor a partir de amanhã (08/04) para 1,2 milhão de unidades consumidoras localizadas em 141 municípios de Mato Grosso.

Confira abaixo o índice que será aplicado às contas de luz dos consumidores residenciais dessa distribuidora.

Empresa

Consumidores residenciais
(Baixa tensão – B1)

Cemat

11,16%

 

Para o reajuste da tarifa são considerados os custos relacionados à compra de energia elétrica para atendimento do mercado da distribuidora, ao valor da transmissão dessa energia e aos encargos setoriais. O cálculo se dá de acordo com fórmula prevista no contrato de concessão. No caso da Cemat, o principal fator que influenciou o reajuste foi o aumento na quantidade de “energia nova” contratada pela concessionária.

Confira abaixo as médias dos índices de baixa e alta tensão:

Empresa

Classe de Consumo – Consumidores cativos

Baixa tensão em média (abaixo de 2,3 kV)
Por ex: residências

Alta tensão em média
(de 2,3 a 230 kV)
Por ex: indústrias

Cemat

11,16%

13,42%

 

 

 

ANEEL aprova revisão tarifária da Ampla (RJ)

Foi aprovado hoje (7/4), em reunião pública extraordinária da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o índice final da terceira revisão tarifária periódica da concessionária da Ampla Energia e Serviços S/A. A Ampla atende 2,5 milhões de unidades consumidoras localizadas em 66 municípios do Rio de Janeiro.

Para a definição da tarifa, são considerados os custos de geração da energia, os de transporte até o consumidor (transmissão e distribuição) e os encargos setoriais. No caso da Ampla, os principais fatores que influenciaram a revisão foram a maior participação da “energia nova” e a “energia velha” (gerada por usinas mais antigas, com parte de seus ativos já amortizados) mais cara do que previsto.

Confira abaixo os índices, que são retroativos a 15/3:

Empresa

Consumidores residenciais 
(Baixa tensão – B1) 

Ampla

-0,74% (Redução)

 

Seguem os índices médios de baixa e alta tensão:

Empresa

Classe de Consumo – Consumidores cativos

Baixa tensão em média (abaixo de 2,3 kV)

Alta tensão em média
(de 2,3 a 230 kV)

Ampla

0,48 %

8,11%

 

O processo de Revisão Tarifária Periódica é um mecanismo de definição do valor da energia paga pelo consumidor, que é aplicado a cada quatro anos, em média, de acordo com o contrato de concessão assinado entre as empresas e o poder concedente.

A revisão tarifária está prevista nos contratos de concessão e tem por objetivo obter o equilíbrio das tarifas com base na remuneração dos investimentos das empresas voltados para a prestação dos serviços de distribuição e a cobertura de despesas efetivamente reconhecidas pela ANEEL. No processo, também foram aprovados os limites de *DEC e **FEC da distribuidora para o período de 2015 a 2019.

A revisão tarifária da Ampla foi debatida na Audiência Pública, entre 23/12/2013 a 31/1/2014, e contou com uma sessão presencial em Niterói (RJ). (JS/DB)

*Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora – DEC -Intervalo de tempo que, em média, no período de observação, em cada unidade consumidora do conjunto considerado ocorreu descontinuidade da distribuição de energia elétrica. Consulte o Módulo I do Prodist.

 

 

 

Novas tarifas para consumidores da CPFL Paulista entrarão em vigor amanhã (08/04)

A Diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou hoje (07/04), durante Reunião Pública Extraordinária, o reajuste tarifário da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL Paulista). As novas tarifas entrarão em vigor a partir de amanhã (08/04) para 3,9 milhões de unidades consumidoras localizadas em 234 municípios de São Paulo.

Confira abaixo o índice que será aplicado às contas de luz dos consumidores residenciais dessa distribuidora.

Empresa

Consumidores residenciais
(Baixa tensão – B1)

CPFL Paulista

16,46%

Para o reajuste da tarifa são considerados os custos relacionados à compra de energia elétrica para atendimento do mercado da distribuidora, ao valor da transmissão dessa energia e aos encargos setoriais. O cálculo se dá de acordo com fórmula prevista no contrato de concessão. No caso da CPFL Paulista, os principais fatores que influenciaram a revisão foram a maior participação da “energia nova” e a “energia velha” (gerada por usinas mais antigas, com parte de seus ativos já amortizados) mais cara do que previsto. Outro fator de impacto no resultado do reajuste da CPFL foi a maior participação das térmicas com o Custo Variável Unitário (CVU) mais alto (aquelas que utilizam combustíveis mais caros).

Confira abaixo as médias dos índices de baixa e alta tensão:

Empresa

Classe de Consumo – Consumidores cativos

Baixa tensão em média (abaixo de 2,3 kV)
Por ex: residências

Alta tensão em média
(de 2,3 a 230 kV)
Por ex: indústrias

CPFL Paulista

17,97%

16,10%

 

 

 

 

Tarifas da Enersul são prorrogadas provisoriamente

A Diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica decidiu prorrogar as tarifas vigentes da Enersul até que possa haver deliberação sobre o reajuste tarifário anual da concessionária, que atende 73 municípios no Mato Grosso do Sul (MS).

O processo, que seria discutido na reunião extraordinária de hoje (7/4), foi retirado de pauta em razão de liminar concedida pela 2ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande. (LP/JS)

Fonte : Aneel – Mais informações sobre os processos de reajustes tarifários podem ser consultadas no endereço eletrônico da ANEEL (www.aneel.gov.br), perfil espaço do consumidor, na cartilha “perguntas e respostas sobre tarifas de distribuidoras de energia elétrica “. (DB/JS)