Carregando...


Ano de 2021 terminou com recorde de migração para o mercado livre

Mercado Livre de Energia

No final de janeiro, a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) divulgou um novo recorde de migração para o mercado livre: o ambiente de contratação livre (ACL) foi adotado por 5.563 novas unidades em 2021.

Hoje, o ACL com 26,6 mil ativos de consumo, teve crescimento de 2,47 vezes nos últimos cinco anos.

Ao todo, o ACL representa 34,5% de toda a energia elétrica consumida no Sistema Integrado Nacional (SNI). A CCEE avalia que o crescimento se deve a três principais fatores, sendo a viabilidade financeira o maior deles, uma vez que o mercado livre oferece uma maior flexibilidade contratual e negociação de valores mais competitiva.

Outro benefício econômico do ACL é a previsibilidade orçamentária, já que é possível às unidades consumidoras a contratação sob demanda. A sustentabilidade e os impactos ambientais também são outro fator atrativo para os clientes. Isso porque é possível escolher a fonte da energia consumida.

A ampliação do ACL é aguardada por representantes do segmento, uma vez que, no final de dezembro, a CCEE apresentou ao Ministério de Minas e Energia (MME) e à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propostas de aprimoramentos regulatórios para que o País avance na abertura do mercado livre a mais consumidores, de forma segura e equilibrada. As regras atuais permitem que apenas grandes consumidores, com demanda superior a 500 kW, possam acessar o segmento.

Voltar às Notícias

Compartilhe