Carregando...


Resultados do Mercado Livre de Energia ao fim do primeiro semestre de 2020

Mercado Livre de Energia

A Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) divulgou, dia 29 de junho, um estudo sobre o primeiro semestre de 2020 que demonstra crescimento de 10,2% para o Mercado Livre de Energia. Neste período, 165 novas migrações ocorreram, destacando entre os motivos o preço até 45% menor neste setor se comparado ao valor estipulado pelo Mercado Regulado. Segundo a Abraceel, 84.354 MWmed (megawatt médio) da energia transacionada no Brasil, isto é, 30% do volume total, são de responsabilidade do Mercado Livre.

Cinquenta e dois por cento  da energia utilizada tem origem no mercado livre se analisados os consumidores especiais e igualmente 52% quando observados consumidores livres, de acordo com o estudo. De maneira geral, houve um declínio de 31% no volume de energia comercializada pelo Mercado Livre em relação ao volume apresentado ao final de 2019. No entanto, 2020 demonstra um consumo 7,6% maior em relação ao primeiro semestre do ano passado. Restringindo um pouco mais as datas de análise para o intervalo entre 21 de março e 12 de junho deste ano, a média de consumo de energia fornecida pelo Mercado Livre reduziu em 4%.

No início deste ano, o Preço de Liquidação das Diferenças (PDL) alcançou o patamar de R$ 294,99/MWh, reduzindo em quase 60% ao fim deste semestre, em que o valor equivale a R$ 121,48/MWh. Utilizada para agregar valor ao volume de energia liquidado na CCEE (diferença entre energia contratada e energia consumida/gerada), o PDL tem o Custo Marginal da Operação (CMO) como base e é calculado pelo Operador Nacional do Sistema (ONS).

Atualmente, comparando a proporção do consumo de energia livre a partir do volume total de energia consumida em cada estado, existe uma classificação nacional liderada pelo Pará, estado onde a energia livre corresponde a 53% do total. Pará é seguido de Minas Gerais (48%) e Espírito Santo (34%).

Fundada em 2000 com objetivo de incentivar a livre competição de mercados como estratégia que visa à eficiência nas áreas de geração, consumo e distribuição de eletricidade e gás natural, a Abraceel sustenta a luta pelo direito dos fornecedores em escolher de forma livre o modo de fornecimento de energia elétrica, pensando a portabilidade das contas de luz e gás natural como estratégia que facilite estas decisões. Dentre as 343 empresas que comercializam energia livre no Brasil, 96 são associadas à Abraceel, concentrando 85% de todo o volume comercializado pelo setor. Atualmente, o segmento representa 30% da energia elétrica consumida, atendendo a mais de 7 mil consumidores livres e especiais e somando, de 16 anos para cá, o valor de R$ 118 bilhões em economia nas contas de eletricidade.

Voltar às Notícias

Compartilhe